Imagens: Roque Carvalho

Em  1924 ,  14 Sargentos  tiveram uma ideia de realizar um fundo, onde cada um deles é uma quantia em dinheiro e um soma do valor, uma futura direcionada a  Família de Sargentos e Subtenentes  em caso de falecimento. Mas para isso, era necessário a criação de uma  Associação.

Imagens: Roque Carvalho

Para ser fundada, uma  Associação  Precaria da Aceitação do  Comandante do Batalhão  em que os sargentos serviam e do  Comandante-Geral . No entanto, ambos ficaram aterrorizados, imaginando que os  14 Sargentos  estariam realizando um motim. O  Comandante-Geral, em  seguida, exigiu que estes  Policiais, por  exemplo, reestruturas dentro do  Quartel , pois ali estariam fiscalizados.

Mesmo com as dificuldades iniciais encontradas, os sargentos resolveram mantém essa  Associação  nos moldes estabelecidos pelo  Comando , pois é uma era única e exclusiva para ajudar  Familiares de Polímeros Militares . Depois de uma longa jornada e alguns empecilhos, o  Sargento Mazolene , idealizador da  Associação , conseguiu junto com o  Ministro da Justiça  da época para a chegada à  Associação .

Em  30 de março de 1924  foi fundada uma  Associação Beneficente dos Subvenentes e Sargentos da Polícia Militar do Rio de Janeiro . Sua localização inicial era na  Rua do Riachuelo, na Lapa . E em  1975 foi construído o prédio no bairro de  Piedade, Zona Norte do Rio de Janeiro , onde é hoje a sede da  Aspom .

A  Aspom  é uma  Entidade  Sem Fins Lucrativos, Filantrópica , com um  Diário Oficial  assinado por  Eurico Gaspar Dutra  em  1924 , que recebe e principalmente realiza doações para  Familiares de Sargentos e Subtenentes .

Hoje, um  Aspom tem  em seu corpo funcional  32 diretores , que são divididos em  Diretoria Executiva , que realizam uma vez por semana e  Conselho Fiscal , que realizam uma vez por mês. Além dos nomeados.

O  Presidente da Aspom  e  Subtenente Reformado Levi Meireles . Associado  a  Aspom  desde  1983 , além do Associado da  Caixa Beneficente , ele foi  Diretor da Entidade  por primeira vez em  1989 , na  função de suplente do segundo tesoureiro , Além do diretor de esportes, já que  Meireles  tem uma carreira dentro da corporação ligada a esportes , onde foi eleito pelo  Comandante-Geral  em  1972 , o melhor  Atleta da Polícia .

Sem querer sem envolver com política,  Levi Meireles  deixou um  Aspom  e foi cuidar de sua vida pessoal depois de reformado. Formou-se em  Relações Públicas e Adestramento de Cães  e Volvo para  Aspom  a convite do então Presidente  Iris Barbosa Queiroz  em  2007  como  Diretor de Relações Públicas . Em  2010 ,  Meireles  se candidatou a  Presidente da Aspom  e venceu com  72% dos votos . Foi reeleito ainda em  2013 e 2016 . O próximo pleito será realizado em  2019 .

Hoje, um  Aspom  realiza diversas atividades em sua sede. Aos domingos são realizadas como  “Domingueiras da Aspom” , com  Shows de Diferentes Bandas . Há ainda os  “Bailes Flashback” , Inquérito de  15 em 15 dias  e que muitas pessoas na sede da  Entidade  aos Sábados. Um  “Noite de Homenagens”  é mais Currículo realizado esporadicamente, este não possui dados certos.

Além do recurso  de lazer , um  Aspom  conta com o Serviço de  Aulas de Dança e de Canto, Escolinha de Futsal, Cursos de Preparação de Inglês, Espanhol, Francês e Alemão, Assistência Jurídica e Assistência Médica. 

Fonte: Assessoria de Imprensa

Reportagem:  Roque Carvalho – Drt: 18.870RJ | Rio de Janeiro, 16 de janeiro de 2018 – 01 /  Atualizado 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui